Mais uma estrela no céu

By Andreia Morais - outubro 13, 2013


«Dono de café suspeito de estrangular ex-empregada matou-se com veneno

O dono de um café, de 61 anos, e uma ex-empregada, de 21, foram encontrados mortos este domingo de manhã no "Ferreira das Francesinhas", em S. Mamede de Infesta, Matosinhos. Os bombeiros testemunharam um cenário estranho e encontraram vestígios de pesticidas e uma garrafa de gás aberta na casa de banho. A jovem aparenta sinais de estrangulamento.

A Polícia Judiciária está a investigar o caso para tentar perceber como ocorreram as mortes. A tese das autoridades, neste momento, aponta para um caso de homicídio seguido de suicídio.

O corpo de uma das vítimas, uma mulher de 21 anos que era ex-funcionária do estabelecimento, apresentava "marcas de estrangulamento" e foi encontrado atrás do balcão. O segundo corpo, do proprietário do café, um homem de 61 anos, foi encontrado perto da casa de banho.

O pedido de auxílio foi feito, às 11.40 horas, pelo filho do dono do café. Estranhou a ausência do pai e dirigiu-se ao estabelecimento, que estava encerrado e com as grandes exteriores corridas. Alertou, então, as autoridades que procederam à abertura de portas e encontraram as duas vítimas já sem vida. O INEM confirmou o óbito.

Os Bombeiros Voluntários de S. Mamede de Infesta e a PSP prestaram ajuda no local, o café "Local de Encontro", conhecido como "Ferreira das Francesinhas", na rua professor Serafim Silva Lopes.

Ao que o JN apurou, a jovem tem 21 anos e tinha acabado a universidade este ano. A família deu-a como desaparecida ontem e os amigos tinham-se mobilizado para a procurar, este domingo, sustentando que não era vista desde o meio-dia de sábado e que tinha o telefone desligado».



Nestas alturas, a proximidade fica um pouco para segundo plano. Claro que ninguém sente tanto a perda como aqueles que lhe eram próximos - a família que está de coração partido e os amigos que com ela viveram tanta coisa. Mas a brutalidade de notícias como estas não nos deixa indiferentes, sobretudo quando o rosto não nos é nada estranho. 

Talvez toda a força do mundo não chegue para consolar aqueles a quem lhes foi arrancado um pedaço de si, mas talvez se todos tivermos um bocadinho dessa força para transmitir seja mais fácil para aconchegar e superar. 

Independentemente de termos mais ou menos histórias para contar, perdemos uma de nós. A ESE ficou mais pobre e mais triste. E acho que ainda nenhum de nós acredita no que aconteceu. É demasiado estranho, cruel, doloroso e penoso. Por isso, unimo-nos todos, ainda que possamos estar separados fisicamente, pela família e pelos amigos. 

Ninguém merecia partir tão cedo. Nem desta forma. Descansa em paz, Mafalda!

  • Share:

You Might Also Like

16 comentários

  1. Credo, eu até fico com medo de sair à rua com estas notícias...
    R: Já me arrependi de uma luta constante, mas pronto. São águas de bacalhau, que não posso voltar com o tempo atrás *

    ResponderEliminar
  2. Acredito, mesmo eu que não a conheço fiquei chocada com o que aconteceu. Este país cada vez está pior, não entendo certas atitudes que estes homens têm! Sim, tens razão. Arrependi-me de ter lutado por um grande amor, por um lado mas por outro não. Mas ganhei coragem de desistir e seguir em frente, e isso faz de mim uma pessoa forte! :') *

    ResponderEliminar
  3. Medo? Muito mesmo, linda. Não sei porque as pessoas só sabem fazer o mal às outras, não conseguem ver ninguém feliz, ninguém com um sorriso na cara! :x
    Sim, é isso mesmo que sinto. É tão bom ter alguém que nos faz sentir bem, e que nos perceba. Obrigada <3

    ResponderEliminar
  4. Tenho muito medo de continuar a viver neste país, mas também nem sei onde é melhor, cá ou fora. Pois cá tenho a minha família e amigos, que me podem ajudar em tudo, mas nesta crise... Lá fora, talvez tivesse oportunidade de trabalho mas há tantos terroristas, nem sei...
    Acredita, passei o meu fim-de-semana aqui metida e fez-me tão bem! Costumo passa-lo a deprimir, chorar mas este foi diferente e fico feliz comigo mesma. Ninguém me julga aqui, mas sei que se for necessário julgar, julga mas com delicadeza. Óbvio que tenho <3

    ResponderEliminar
  5. Eu vi essa notícia na TV, que horror :s

    ResponderEliminar
  6. Estas notícias são sempre chocantes então quando se trata de alguém que estou no mesmo local que nós, torna-se mais arrepiante. Não a conhecia mas o facto de frequentarmos o mesmo espaço torna a ato em si mais chocante.

    ResponderEliminar
  7. R: Querida felizmente é só amanhã porque preciso de sair mais cedo do trabalho. O mais cedo que costumo acordar é Às 6h15, acho que é mais aceitável :p

    ResponderEliminar
  8. R: Pelo o que ouço no Jornal de Notícias, em 2014, o país vai melhorar, tanto a nível de emprego como em relação à crise. Mas ouve-se tantas vezes isso, que até perdemos as esperanças... Mas por acaso não gostava de sair do meu país, mas quando às vezes é necessário e têm que ser! Concordo contigo, Andreia! Tens toda a razão linda :')

    ResponderEliminar
  9. R: Eu por enquanto ainda não perdi a esperança que melhore, talvez porque ainda não estou no mercado de trabalho... Para o ano veremos como tudo corre. Há que haver fé! As saudades doem tanto mas tanto cá dentro, não se torna fácil viver dia após dia com metade de si, porque a outra metade ficou presa ao passado. Obrigada novamente por todo o apoio <3

    ResponderEliminar
  10. Somos duas, há que ter esperança e não a podemos perder! Tenho medo que um dia essa ausência não passe, não consiga conviver com ela.. Tenho medo mesmo, mas não posso ir abaixo. Ao escrever fui-me um pouco é verdade, mas há que arrebitar! :') *

    ResponderEliminar
  11. R: Isso mesmo, querida! Ainda bem que temos opiniões iguais, fico feliz por isso, por ser compreendida! E em relação ao que estou a passar, tenho que ter força, eu sei... Vou tentar não recordar tudo o que passei com ele, tentar que tudo passe da melhor forma possível e sabes o que é bom nisto tudo? Saber que tenho pessoas generosas como tu, a apoiar-te! <3

    ResponderEliminar
  12. Estamos sempre a falar de mim, e por estas coisas aposto que já sabes um pouco de mim. Fala-me de ti! :')

    ResponderEliminar
  13. R: Já tiveste na mesma situação que eu? Já passaste por algo do mesmo gênero? Como reagiste?
    ps: desculpa, sou muito curiosa :b

    ResponderEliminar
  14. R: E separaram-se porque? Assim do nada? :s

    ResponderEliminar
  15. R: Imagino... O que importa é que ultrapassaste isso, e agora? Pareces-me bem :')

    ResponderEliminar