As minhas viagens de metro #4


«Decidi recomeçar a história. 
Entretanto, preferi substituir o "era uma vez" pelo "é dessa vez"»


Habituei-me a colecionar amores impossíveis, como quem coleciona anilhas, cromos de futebol, garrafas originais ou postais de viagem. Não que isso me dê algum tipo de satisfação - longe disso -, mas aprendi a superar e a não dramatizar. A partir de um certo ponto da nossa caminhada compreendemos que as coisas não acontecem porque não tinham que acontecer. O erro não é nosso, apenas não estava programado para ser assim.

A vida vai-nos dando armas para lutar. Quando os obstáculos nos aparecem à frente, sobretudo quando não estamos a contar, somos colocados à prova. Nem sempre é lógico, claro ou funcional, mas nada surge por acaso. E as armas que guardamos para mais tarde acabarão por nos dar jeito. A minha vida deixou-me bem claro que um amor não correspondido doí, mas não mata, só se resolvermos desistir do nosso amor próprio. E para se certificar que percebi colocou-me gentilmente alguns em sorte. Depois atirou-me para a frente das feras e obrigou-me a lutar por mim. 

Já entendi a mensagem! E talvez seja mesmo hora de um amor de verdade. Correspondido. Que me acolha nos seus braços. Estou pronta para o viver. Talvez me magoe muitas vezes, por acreditar demais nas pessoas. Talvez me entregue de cabeça e acabe com demasiadas feridas. Mas quando se trata de amor sou capaz de fechar os olhos e atravessar um precipício por cima de uma fio tão fino que quase se confunde com a sensação de vazio. É, quando se trata de amor sou capaz de me transformar num trapezista e colocar a minha vida em risco porque desde sempre compreendi que não há melhor do que arriscar por amor.

Se calhar, quem sabe, seja a hora de iniciar uma nova coleção de um único exemplar: o meu coração aberto para amar a outra metade que o completa. E fechado para novos amores. Apenas porque encontrei a peça do puzzle que estava em falta. Na certeza de encaixar tão bem, senti o corpo estremecer num suspiro, que me deixou ouvir em surdina «é desta!». E que seja. E que me faça apaixonar todos os dias pelo mesmo rosto de ontem, que é só o amor que me faltava para me tornar completa.

E juntos sermos aquilo a que chamo amor possível. Correspondido. E para sempre.


M, 15.10.2013

Comentários

  1. À medida que vivemos, vamos criando histórias, vamos nos apaixonando, vamos sonhado, contudo depois nem tudo é o que desejamos, nem o que sonhamos, pode ser sempre diferente para pior ou para melhor. Mas é na vida, que criamos defesas, que ganhamos formas de lidar com as histórias que nos aparecem no caminho. Espero que sejas feliz. Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. é mesmo querida, foi brutal ontem :)

    ResponderEliminar
  3. Eu sou da opinião que nenhum amor é impossível, porque se assim fosse...não cabia na palavra amor :)
    Mais uma vez, lindas palavras.
    Beijinho enormee ♥

    ResponderEliminar
  4. amei as tuas palavras, novamente :)

    Santi
    santiroyalhome.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Ow gostei mais uma vez, muito, do texto.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Amiga que belo texto você cada dia me surpreende com seus
    maravilhoso texto ou historia.
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis

    ResponderEliminar
  7. substituir o 'era uma vez' por 'é desta vez' cool :D

    ResponderEliminar
  8. Os amores impossíveis são os melhores! ^^

    ResponderEliminar
  9. A tua cara metade anda por aí... ;)

    ResponderEliminar
  10. Sim, se calhar também sou capaz de concordar contigo :D
    beijinho

    ResponderEliminar
  11. Gostei muito!

    Acredito num amos assim.

    Bjos

    ResponderEliminar
  12. Quando menos esperares vai aparecer o homem ideal e não te preocupes muito com isso querida, tu és linda!

    ResponderEliminar
  13. Sem dúvida.
    Obrigada minha querida *

    ResponderEliminar
  14. Que texto lindo! Coleccionei muitas paixões, muitos amores impossíveis. Mas não há nada melhor do que fechar a caderneta com um verdadeiro amor :)

    ResponderEliminar
  15. Que texto maravilhoso, todos nos temos pequenos tesouros, prioridades, as vezes ficamos um pc confusos do que queremos, mas tudo faz parte. =D

    ResponderEliminar
  16. Gostei do texto, usastes as palavras certas :) gostei do segundo paragrafo ;)
    Bjs

    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  17. Quando menos esperamos é que as coisas acontecem e devemos sempre arriscar no amor.

    ResponderEliminar
  18. Tens um dom maravilhoso para a escrita, mesmo para temas "doridos". Arrastas-me sempre para outros mundos.
    Quanto ao amor, essa coisa complicada e muitas vezes sofrida... Não há principes encantados, relações perfeitas, tempo certo. Apenas vontade de dois lados, muitas vezes improvável e muito esforço e trabalho. Como tudo na vida. E falo por experiência própria. O amor acontece, nem que seja de vez em quando.
    Bjos

    ResponderEliminar
  19. Não há amores impossíveis e eu sou da opinião que, quanto menos nos preocuparmos com isso melhor. Se formos a ver, as coisas acontecem quanto menos esperamos. És fantástica, boa amiga, boa ouvinte, e mais um milhar de coisas que por aqui não dá para ver portanto quanto menos esperares algo especial acontecerá :) se não for especial não vale a pena.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário