As minhas viagens de metro #5


«Devo começar dizendo que te amo? Ou que os dias que passei com você foram os mais felizes da minha vida? Ou que, no curto, espaço de tempo que nos conhecemos, passei a acreditar que fomos feitos um para o outro? Poderia dizer todas essas coisas e tudo seria verdade, mas, quando releio estas palavras, a única coisa que passa pela minha cabeça é que queria estar com você agora, segurando a sua mão e olhando seu sorriso elusivo».


É preciso ter um grande espírito aventureiro para se cometerem as maiores loucuras. Já eu nunca fui de as praticar em excesso, pois prefiro ter o risco ligeiramente calculado para saber com o que contar. Mas há alturas na vida em que esta nos obriga a agir por impulso. A ligar o piloto automático e a deixarmo-nos ir.
 
Como nunca dei um passo maior do que a perna não tenho grandes histórias para contar aos filhos quando estiverem na idade de nos surpreender com um neto, por serem demasiado vergonhosas para expor a uma criança. Ás vezes sinto falta disso, de pisar o risco, de sentir o coração a registar picos de adrenalina e a ficar extasiada com tanta emoção. Mas por defeito ou feitio - por muito que, por vezes, a vontade seja a de passar para lá da fronteira que nos dá chão e segurança - nunca me arrisquei a perder o conforto do conheço, por me deixar tranquila. Há dias em que gostava mesmo de arriscar até perder o chão, para perceber durante a queda que um arranhão não nos torna mais fracos, apenas mais resistentes. 

É preciso coragem - nessas coisas sou a minha pior inimiga. E por nunca ter sido de grandes loucuras também nunca fui de grandes arrependimentos. Por isso é que em momento algum me arrependo de te ter conhecido e de te ter deixado entrar na minha vida, remexer no meu coração e levar parte de mim quando decidiste partir. Só gostava de voltar atrás para me impedir de me apaixonar por ti; impedir que significasses tanto e que só tu coubesses no meu peito. Não me arrependo de nada, mas se me dessem a opção de voltar atrás não posso dizer que faria tudo igual, ainda que não mande no coração.

Amo-te. E hei-de amar-te sempre. Só queria ter o poder de conseguir controlar a minha vida como uma música: retroceder para ouvir uma parte em específico, avançar para que chegue ao fim mais depressa, porque a ansiedade de saber o que vem a seguir ganha à arte de saber esperar; parar porque não se gosta, mudando para a faixa seguinte, e pôr em pausa, quando há tanto a acontecer ao mesmo tempo que sentimos necessidade de parar, respirar fundo e ponderar se é a altura certa para seguir em frente no mesmo caminho ou se está na hora de mudar de rumo. 

A ti, não podendo retroceder, colocar-te-ia em pausa. Até me saberes amar como eu te amo. Assim, com o coração inteiro, quando só coubesse eu, e se partilhasses a certeza de que nunca teríamos fim. 


M, 16.10.2013

You Might Also Like

40 comentários

  1. Temos isso em comum :). Também não sou de grande aventuras nem de correr grandes riscos. Sou uma pessoa controlada e racional, pelo que geralmente faço uma avaliação de riscos muito certa, para tudo nesta vida. Sou feliz assim, por isso também tenho muito poucos arrependimentos :) (arrependimentos, só mesmo os decorrentes do meu temperamento às vezes explosivo :P)

    ResponderEliminar
  2. é mesmo, não me importava de passar mais lá uns dias *.*

    ResponderEliminar
  3. r : o pior mesmo é escolher . às vezes dá vontade de as trazer todas para casa *-* e outras vezes até tenho pena de escrever nelas , ahah

    ResponderEliminar
  4. r : ahah , eu também sou assim . acreditas que tenho imensos livrinhos , tipo moleskine , e que não consigo escrever neles , porque tenho pena ? não sou normal :b

    ResponderEliminar
  5. Eu normalmente não sou muito de arriscar mas digo-te, as vezes, acho que fico a perder por isso portanto arrisca. Força.

    ResponderEliminar
  6. Não tens de agradecer, obrigada eu por toda a amizade.

    ResponderEliminar
  7. nisso não somos parecidas.. eu sou dada a grandes aventuras, gosto de correr riscos!

    ResponderEliminar
  8. depois não tenho espaço nas gavetas por alguma coisa . quero escrever , mas custa tanto .. e às vezes não tenho inspiração :c tenho um caderno que tem uma capa super fofa , já o tenho há mais de meio ano , e ainda não tive coragem de escrever mesmo nada . e também não tenho criatividade nenhuma :(

    ResponderEliminar
  9. r : eu também ando sem com um caderno na minha mala , mas é um simples . quando quero escrever alguma coisa , ou é nesse caderno ou no telemóvel ..
    eu também adoro escrever , mas a verdade é que já escrevi mais do que aquilo que escrevo agora :(

    ResponderEliminar
  10. r1: acredita q desde pequena sempre sonhei em encontrar alguém q me fizesse sentir assim c:
    r2:acredita q é sinto-me maravilhada.
    obrigado, está simples :p

    ResponderEliminar
  11. Esse ultimo paragrafo está divinal. São palavras que faço questão de guardar..!! Adorei
    Se eu pudesse, também voltava atrás só para ter o prazer de reviver os momentos mais maravilhosos, para poder sentir o cheiro mais uma vez, ouvir mais vez.. era bom poder ter esse poder.
    beijinho grande ♥

    http://naervilhadapolly.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Ai, adoreiiiiiiiiii :) que lindoooooo! *vou chorar*
    Porque é que escreves coisas que parece que fui eu a sentir?! :)
    Força e segue em frente fofinha, arriscar faz-nos bem!

    Beijinho grande, cheio de saudades ♥
    gosto muito de ti!

    ResponderEliminar
  13. eu gosto de ligar o piloto automático, era muito uma pessoa de "tenho de er tudo sob controlo" ahaha

    beijinhos querida
    Chic Diary

    ResponderEliminar
  14. Era tão bom que os sentimentos tivessem os mesmos botões que um rádio. Por vezes precisamos de lhe diminuir um pouco o volume para conseguirmos perceber a letra

    ResponderEliminar
  15. r : espero mesmo bem voltar a escrever como antes , tenho tantas saudades :(

    ResponderEliminar
  16. Que palavras... Sei que já o disse, mas volto a dizer! Gosto imenso do que escreves e dos sentimentos que transmites com essa mesma escrita.

    Eu também não sou de loucuras, sempre fui racional e até acho que às vezes penso demais nas coisas.

    Um beijinho para ti e bom fim-de-semana *

    http://agatadesaltosaltos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  17. r: muito obrigada por todas essas palavras. finalmente consegui ter uma conversa séria com ele, em relação ás suas atitudes, também estou um pouco mais severa, para ele ir aprendendo. mais uma vez, obrigada (:

    ResponderEliminar
  18. Eu sou uma pessoa que gosta de arriscar e acho que tu devias experimentar querida<3

    ResponderEliminar
  19. Tens ai belas palavras.
    Confesso que gosto de grandes aventuras :)
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  20. Arrisca um bocadinho ;)
    Escreves muito bem

    Sónia
    Taras e Manias

    ResponderEliminar
  21. Gosto imenso da tua escrita. Arrisca sempre, porque quem arrisca pode conquistar e vencer, quem fica parado à espera que algo acontece, tem muito menos probabilidades de ver o que quer concretizado. um beijinho

    ResponderEliminar
  22. É isso mesmo! Temos de pensar no hoje, fazer o que gostamos e dizer o que sentimos hoje. Não sabemos se o amanhã trará outra oportunidade :)
    Obrigada, princesa! Fico realmente muito contente por saber que gostaste :')
    Beijinhos, linda* ❤

    ResponderEliminar
  23. Também não sou assim muiiito maluca para essas coisas mas já tenho algumas parvoíces para contar.

    ResponderEliminar
  24. é mesmo, e fazer ski é que é espetacular :)

    ResponderEliminar
  25. Eu sou mais ou menos assim como tu.
    Mais uma vez gostei do texto *-*

    ResponderEliminar
  26. Sabes sempre as palavras certas. Impressionante.

    ResponderEliminar
  27. Ainda bem querida, eu já não ia lá á 2 anos.
    Quando tu vais a uma viagem com pessoas que te das bem, a viagem corre ainda melhor :)
    bom fim de semana *

    ResponderEliminar
  28. Obrigada fofinha, já te adicionei.. :D temos amigos em comum não é tão fofo? :D
    beijinho grande ♥

    http://naervilhadapolly.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  29. É mesmo querida, sabe muito melhor :)
    obrigada *

    ResponderEliminar
  30. Nem as pessoas que têm como profissão fazer cálculos exatos ou trabalhar com a lógica são bem sucedidos quanto toca ao amor.
    Há quem consiga facilmente seguir em frente com uma substituição superficial. Por exemplo, gostas de mim, então bora lá.
    Um amor correspondido é uma pedra preciosa que todos os dias tem de ser lapidada.

    ResponderEliminar
  31. r : às vezes tento escrever e depois não gosto nada daquilo que escrevo , fico tão desanimada :c
    tens que experimentar o ginásio , é fantástico :)

    ResponderEliminar
  32. Tenho mania de calcular tudo. Isso é péssimo. Fico pouco espontânea.

    Bjos

    ResponderEliminar
  33. muito obrigado :))
    penso q foi dos textos que escrevi em que fui o mais fiel possível ao q sinto c:

    claro q tenho, és sempre uma querida em tudo o q me dizes c:

    ResponderEliminar