Safe And Sound


«A música pode mudar o mundo porque pode mudar as pessoas», Bono Vox


Paz. Talvez seja isso mesmo que sinto quando ouço o Diogo Piçarra a cantar. Inclusivamente nos momentos em que a sua voz nos eriça a pele pela magnitude que tem. Por mais que o nosso coração pareça prestes a sair do lugar, por toda a garra com que canta, no fim, é a tranquilidade que se instala. Porque ter a oportunidade de ouvir vozes assim é de um privilégio indescritível. 

Há um Diogo pré-Ídolos que conheci pouquíssimos dias antes do programa começar, através da versão brilhante da música «Se fosse um dia o teu olhar», de Pedro Abrunhosa. Confesso, nunca pensei que me emocionasse tanto. E que dois anos depois fosse dos artistas que mais admiro. Por tudo o que é e que acredito que ainda virá a ser. Acompanhei o percurso desde o início, fascinada com o crescimento que teve gala após gala. A sua interioridade, que algumas vezes foi criticada no programa, foi das características que mais me cativou. Talvez a minha noção de música seja diferente da de todos os outros, mas aquilo que me faz ficar de coração cheio não é só a voz, o alcance que tem. Aquilo que a mim me emociona é o conjunto: a voz poderosa, capaz de chegar a qualquer nota, a presença, a alma, o sentimento em cada palavra. Ele sempre teve isso tudo, talvez porque sente isto como ninguém. E por isso, para mim, estava num patamar superior a todos os outros concorrentes. A maturidade, o respeito pela música, o amor ao que se faz são coisas que adquirimos com o tempo, mas é preciso trabalhar para isso. Não chega ter talento. É preciso senti-lo bem cá dentro, para que a plateia receba o que queremos transmitir. Exatamente como se o sentisse por nós. 

Não é segredo para ninguém que sou de lágrima fácil. Mas as pessoas têm que me tocar. Tenho que estar deste lado e sentir uma ligação única. É essa ligação que eu sinto em todas as vezes que o ouço. Há tanto dele em cada uma das músicas que é impossível ficar indiferente. Já chorei a ouvi-lo. Já sorri. Já ri. Já dancei. Já cantei mais alto. Já fechei os olhos e deixei-me invadir por uma data de recordações. Já senti muita coisa. E em todos esses momentos fiquei sem palavras. Torna-se cada vez mais complicado tê-las para alguém que nunca pára de nos surpreender. Há alturas em que me questiono onde guarda tanto talento, porque sempre que nos apresenta algo novo está melhor. Todos os dias, quando ponho a música dele a tocar, é como se o descobrisse pela primeira vez. E rendo-me. Com a mesma facilidade com que me rendi há dois anos. 

É quase impossível dissociar o músico da pessoa por trás do profissional. E é bom quando percebemos que ambos correspondem ao que idealizamos. A imagem que tenho é a melhor, até porque nunca me deu provas do contrário. E nunca me esquecerei daquele «muita força» quando escrevi o texto sobre o meu avô (aqui), com a «Volta» como fundo. Aquelas palavras, vindas de alguém que me diz muito, mesmo que não o conheça pessoalmente, souberam quase a um abraço apertado. Ainda que o tenha identificado por causa da música, não tinha obrigação de dizer fosse o que fosse. Mas disse! Estou grata por isto e por me ter feito conhecer, indiretamente e à distância, pessoas fantásticas que o admiram tanto ou mais do que eu. Talvez não tenha a noção do que quanto as suas palavras fazem a diferença, ou talvez tenha, mas fazem mesmo. E é este cuidado constante que tem com quem o acompanha que o torna ainda mais especial. Sabe-lo a construir um percurso consistente, com os pés assentes na terra, sem perder a humildade que sempre teve, é um grande motivo de orgulho.    

Admiro-lhe a capacidade de nunca parar. De se reinventar. De querer chegar mais longe. É esta vontade que, aliada a todo o talento que tem, comove e conquista. E é por isso que o futuro só pode ser de sucesso. E eu prometo estar aqui, incondicionalmente, para o ver crescer ainda mais. Podem existir novos programas e concorrentes a chamarem-me à atenção, mas nenhum outro terá o impacto que ele teve. Porque artistas como ele não se encontram com facilidade. Acredito que há vários tipos de amor. E este que eu sinto, com todo respeito do mundo, por ser sinónimo de admiração e nada mais, será até ao fim.

Pela qualidade imensa que tem, ontem voltou a surpreender com a sua mais recente versão (aqui). A música escolhida foi a «Safe and Sound», dos Capital Cities, e não podia ter ficado mais magnifica, bem ao jeito dele. Como já nos habituou. O vídeo é um misto de leveza, energia, verão, festa, amor, cumplicidade, amizade e tanto mais. É a paz do mar e as gargalhadas entre amigos. É a união. E a prova de que tudo o que faz é bem feito e pensado ao pormenor. A voz, essa, fala diretamente ao coração. Doce, mas com um timbre que tende a fugir para uma rouquidão natural que eu tanto adoro. É um cover que fica bem com esta altura do ano. Ou com todas as outra. Porque ele combina com qualquer hora do dia. Especialmente se for ouvido em repetição, música após música. Nunca cansa. Nunca desilude. 

Demarcou-se do programa que lhe deu maior notoriedade, sem esquecer o que ficou para trás, mas perspetivando novos caminhos. Há um Diogo para lá do Ídolos. Sempre houve, uma vez que em nenhum momento se prendeu a essa imagem. Talvez quando o apresentam ainda mencionem o facto de ter sido o vencedor, mas todos nós sabemos que é muito mais do que isso. E sê-lo-à continuadamente. Nunca duvidei: o talento dele não tem limites.

Não consigo parar de te ouvir. Nem quero. E enquanto existires tu, sei que posso ficar «sã e salva» porque a música portuguesa está bem entregue.

Comentários

  1. Adorei!!

    http://meninadoscremes.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. resp: de nada darling :)
    É mesmo, foi o meu baby que me disse esta frase *

    ResponderEliminar
  3. Escreves super bem, o texto está incrível!

    ResponderEliminar
  4. resp: pronto e começou a trabalhar hoje, é complicado arranjar uma solução visto que é um trabalho pesado e que vai ser complicado estar com ele nem que seja um bocadinho porque vai estar muito cansado.

    ResponderEliminar
  5. resp: tem piada que este blog faz aninhos no mesmo dia que o outro fazia :)
    eheh, parabéns para os blogs :p

    ResponderEliminar
  6. Gostas muito de música portuguesa, não é? :p Esta música que tens aqui no teu blogue é mesmo bonita :p

    ResponderEliminar
  7. Tens toda a razão, até porque a música é uma grande parte de nós...

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  8. Tu e a música :p
    r: A nós cabe-nos apenas vivê-la.

    ResponderEliminar
  9. Certamente que o Diogo Piçarra quando ler isto vai perceber que a sua interpretação toca as pessoas de maneria que nem ele próprio provavelmente imaginava. Que bela dedicatória e mais uma vez um excelente excelente texto querida!

    Beijinhooos :)
    http://princesasemtiara.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  10. Obrigada, princesa! :)
    Beijinho enorme para ti*

    Quanto a este post, não há muito mais que possa dizer. Admiro-o imenso, merece todo o reconhecimento!

    ResponderEliminar
  11. És sempre um amor! :)

    Faço das tuas minhas palavras também! Há pessoas incríveis, de enorme talento e com coração de ouro. Torna-se difícil encontrar as palavras certas para as descrever devidamente. O Diogo é uma dessas pessoas! Sabe sempre surpreender-nos :)

    ResponderEliminar
  12. Tem uma voz bonita, sem duvida mas não é dos meus preferidos :)

    ResponderEliminar
  13. Quase uma declaração.

    É lindo admirar, ser fã.

    A música tem um poder enorme.

    Eu morreria sem melodias.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Gosto muito do Diogo Piçarra, da sua voz ;) Mas é muito bonito a tua admiração e a forma como escreves sobre estes artistas.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  15. Acabei de ouvir a música agora no You Tube e gosto mais do que a original dos Capital Cities :)

    ResponderEliminar
  16. Concordo contigo gosto imenso do timbre dele e a nova versão dos Capital Cities o timbre bastante fresco.
    Ele ainda vai dar que falar :)
    beijinhos
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  17. Uau... Vc gostou mesmo, heim???

    Bjos, amore.

    ResponderEliminar
  18. Dá para reparar que é um dos teus favoritos. Exato e, ainda bem.

    ResponderEliminar
  19. É mesmo incrivel cono tens tanta razão...

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  20. Amiga texto encantador ter a paz é ter DEUS dentro de nós.
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis

    ResponderEliminar
  21. Finalmente actualizei-me :D Desculpa a ausencia querida.
    Adoro ler tudo o que escreves <3

    ResponderEliminar
  22. Nunca é perder tempo. É cultivar-me porque quando venho cá aprendo sempre coisas novas, descubro sempre algo novo e é sempre um prazer ler o que escreves por isso prefiro deixar passar algum tempo e ler tudo do que ler pela metade :)

    ResponderEliminar
  23. Oh sabes, é delicioso ler-te.É mesmo, mesmo!

    ResponderEliminar
  24. Não precisas de dizer nada <3

    Estás a influenciar-me :p adoro a música do Diogo Piçarra :p

    ResponderEliminar
  25. É mesmo bonita. Acho que precisei de a ouvir umas quantas vezes :p

    ResponderEliminar
  26. ah ah xD nada mesmo :p
    Eu acho as musicas muito melódicas ( das que já ouvi)

    ResponderEliminar
  27. Qual é a tua música preferida dele? :) É a que tens no blogue?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário