O que fala ao coração #19


«A minha ideia é que há música no ar, há música à nossa volta, o mundo está cheio de música e cada um tira para si simplesmente aquela de que precisa», Edward Elgar.


Não passo um dia sem ouvir música. Neste início de uma nova semana, e depois de algum tempo de ausência, volto a abrir a porta para acolher uma artista de um talento fenomenal. Desliguem as luzes, fechem os olhos, sentem-se confortavelmente no sofá e apreciem o som do piano; a guitarra, o contrabaixo, a bateria. E a voz. Essa linda voz que ela tem. Quente. Com gingar. Próprio de quem tem jazz a correr nas veias. Mas não se deixem enganar por essa calma, pois também há influências rock a invadir o seu estilo pessoal.
 
Descobri a Joana Espadinha por acaso e penso que já o fiz tarde, porque realmente é de uma qualidade incrível. Apesar disso, tenho a certeza de uma coisa: nunca mais deixarei de a ouvir! A sua versatilidade não pode deixar ninguém indiferente. Isso e o facto de ser cantautora. Não é ótimo quando a música portuguesa está assim tão bem representada? A minha resposta é simples, concisa e prática: sim, é. E muito. 

Lançou-se em nome próprio, mas tem no currículo participações invejáveis em discos de outros artistas. Paralelamente, é professora de canto. O seu primeiro trabalho intitula-se «Avesso» e tem tudo para ser um sucesso, isto se lhe soubermos dar o devido valor - acredito que sim. A sua «dimensão acústica e eletroacústica» promete ocupar um lugar de destaque na música portuguesa, assim como as suas músicas que nos parecem contar uma história. 

«Ao Seu Dispor» foi o primeiro single apresentado e surgiu «depois de uma noite em frente à televisão, mudando desenfreadamente de canal, há procura de algo que nem sabia o que era. Joana Espadinha deu por si a pensar em todas as pessoas para as quais a televisão é a única companhia, e na sua solidão. Aos poucos, foi imaginando uma história em que uma família observava o noticiário sem qualquer reacção, alheada de tudo, como num transe». Esta capacidade de encaixe e de criar algo tão fascinante a partir de tão pouco é, para mim, um grande ponto a favor. Nunca escondi o quanto fico encantada com a criatividade dos outros, esta forma de agarrar no mais pequeno pormenor e dar-lhe vida própria. É talento. E dos bons. E a nossa música precisa de pessoas assim. 

Criar uma letra requer um processo de escrita que me é familiar, pela simples razão de dar azo à imaginação para se dispersar pelos temas que quiser. Mas para letrista não encontro qualquer habilidade dentro de mim, começando logo por aí tenho o maior respeito por quem o sabe fazer. Respeito esse que aumenta quando a essa capacidade lhe juntam uma voz poderosa, que comove, que arrepia, que se destaca, que tem talento. Gostava de saber cantar só para nunca desiludir às vozes que ouço e que admiro - mesmo que em nenhum momento me venham a ouvir cantar. 

O mundo está ao contrário quando se trata da música portuguesa, mas Joana Espadinha virou-se do Avesso e fugindo de possíveis padrões criou algo muito próprio. À sua imagem. Com sentido e com uma margem de progressão que não duvido que consiga atingir. Tem estilo e vários estilos lá dentro, mas que partilha com quem a ouve. Juntei-me há pouco tempo a esta família, mas já me rendi. Recentemente lançou «Sem Rede», só com voz e guitarra. Ouçam e percam-se. Não se vão arrepender.

«Joana Espadinha é uma canta-autora portuguesa que se prepara para lançar o seu primeiro disco, "Avesso". Estudou na Escola de Jazz Luís Villas-Boas – Hot Clube de Portugal, é licenciada em Jazz pelo Conservatório de Amesterdão e em Direito pela Universidade Nova de Lisboa.
Tem participações em discos editados por vários artistas, como intérprete e também como letrista, nomeadamente "A bolha" de João Firmino, "Terra Concreta" de Afonso Pais, "Whatever it is you're seeking won't come in the form you're expecting" de João Hasselberg, e ainda "Ponto de partida", de André Santos, que está em fase de lançamento.
É professora de canto no Curso de Jazz da Universidade de Évora, na Escola de Jazz Luís Villas-Boas – Hot Clube de Portugal e na ESTAL».

É a promessa. E a certeza de que a música é o lado certo da sua vida. E da nossa, se gostarmos de música com identidade. 





Já conheciam? O que acharam?

You Might Also Like

17 comentários

  1. Mais uma coisa que descobri contigo. Obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Publiquei hoje as minhas respostas à TAG a que me nomeaste! :)
    Beijinhos,
    www.theinsideofvogue.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Não conhecia mas adorei conhecer.

    Obrigada! :)

    ResponderEliminar
  4. Não a conhecia ;)

    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. r: Para mim é das autoras mais completas...retrata sempre o que nós mulheres sentimos e isso é que é realmente fascinante! O do Daniel está muito bom mesmo, concordo contigo.
    Normalmente gosto mais dos livros que dos filmes e leio sempre primeiro...mas neste caso arrisquei e vi o filme antes de ler o livro e o filme está extraordinário mesmo! imagino o livro :)
    ...
    r: ainda estou na fase de tentar acreditar, ainda tenho uma pequena barreira que impede de acreditar a 100%.mas espero que aos poucos essa barreira desapareça.

    Obrigada és sempre uma querida :)

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia! Só aprender coisas novas :)
    r. É verdade eheh :)

    ResponderEliminar
  7. Não conhecia, mas gostei bastante, tem um timbre bem bonito. ;)

    ResponderEliminar
  8. Gostei mais dos dois últimos vídeos. Desconhecia esta canta-autora, mas demonstra grande versatilidade.A voz dela com o som do piano lança uma espécie de encantamento.

    Conclusão sobre relações, é lixado existir sintonia, portanto temos de contentar com a dor de cotovelo. x)

    ResponderEliminar
  9. Mais um talento que eu desconhecia...

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  10. Andreia, como faço para criar outro blogue na mesma conta? sff ><

    ResponderEliminar
  11. Que voz divina :0

    Bjos, amiga.

    chuvadecamelias.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  12. Que voz brutal

    Sónia
    www.tarasemanias.pt

    ResponderEliminar