Os ecos de hoje chegam de Espinho

By Andreia Morais - setembro 20, 2014


«Vem que o amor não é o tempo, nem é o tempo que o faz. Vem que o amor é o momento em que eu me dou, em que te dás», António Variações.


Há noites que, inevitavelmente, ficarão para sempre guardadas na nossa memória. E no nosso coração. Ontem voltei a escrever amor em cada segundo de concerto a que assisti, porque é mesmo isso que os Aurora fazem: cantar com amor. «Há uma noite para passar», e eu só queria ter o dom de parar o relógio para que aquele momento nunca mais terminasse. 

O meu lado saudosista faz-me querer eternizar o que vivo, como se de alguma forma pudesse voltar atrás no tempo e recriar tudo aquilo que aconteceu. E que senti. Faço-o através de fotografias e de vídeos, vendo-os vezes sem conta quando o lado esquerdo do peito começa a pedir por mais ocasiões como aquelas. Um mês e dois dias depois de os ter estado a ver na Gafanha da Nazaré, em Ílhavo, voltei a fazê-lo, mas em Espinho. Se no Festival do Bacalhau gravei o concerto todo, ontem estava decidida a desfrutá-lo de outra forma. Dei algum descanso à máquina fotográfica, até porque sempre soube que seria impossível esquecer o mais pequeno pormenor. Passe o tempo que passar, o que vivi em Espinho não me esquecerei. Nunca!

Quatro vozes numa voz só, acompanhadas por todas aquelas se juntaram na Alameda 8 para um concerto que tinha tudo para ser fantástico. E foi! Estão cada vez mais ligados, interativos com o público, à vontade em palco. Pergunto-me como é que é possível conseguirem crescer tanto em tão pouco tempo, mas a resposta é simples: quem é bom sabe que não pode parar. Há sempre mais degraus a subir. E eles têm-no feito, um por um, com pisadas firmes e determinadas, sempre rumo ao topo. A cada novo dia estão mais perto. Para nós já lá chegaram. Mas descansa-me saber que não param por aqui, porque mesmo que aparentemente não existam mais degraus para subir eles vão arranjar forma de o fazer, nem que inventem uns quantos. 

Permiti-me fechar os olhos na «Primavera» e na «Sete Mares», forçando-me a não chorar. Há músicas que têm este efeito em nós, ainda para mais quando as ouvimos em vozes tão harmoniosas como as deles. Senti a «Levou-te de mim» como em nenhum outro momento tinha acontecido. Dancei ao som da «Dança a Dois», da «Seja Agora», da «Vá lá, Senhora». Recuei à infância com a «Cabanas (Peterpanismo)». Não podia faltar a «Homem do Leme» nem a «Canção de Engate», de artistas que fazem parte da minha vida desde sempre, e que também contribuíram para gostar tanto de música. Fui ao rubro com a «Chaga» e a «Cenário». Senti cada letra de todas as canções que conheço de cor. Os Aurora foram tudo isto, foram mais do que isto. Foram todas as palavras que hoje me faltam para descrever o quanto a noite de ontem foi memorável. Encheram-se da grandeza que só eles têm e cobriram a Alameda com um talento inigualável. Regressar parece-me obrigatório. Ali. Com eles. Em breve!

Não dei pelo tempo passar e a culpa é deles por nos envolverem tanto no que fazem. Gosto muito disso! Vou recordar os sorrisos, as brincadeiras em palco, a surpresa que prepararam, os braços no ar, os telemóveis a bambalear, os risos, os gritos, as pessoas. «Há gente que fica na história da história da gente», Espinho já é um bocadinho vosso. E meu, porque mesmo não sendo de lá senti-me em casa. Acrescentei mais um capítulo inesquecível à minha ainda curta caminhada. Venham outros iguais a este. 

São os meus pais que me acompanham nestas aventuras, porque insisto em partilhá-las com eles e porque gostam - e já se renderam aos Aurora -, mas acho que para a próxima tenho que deixar o meu pai em casa. Depois de lhe ter dito que um dos fotógrafos era o pai do Tiago, no fim do concerto, cismou que lhe queria dizer uma coisa. Levei aquilo na brincadeira, até perceber que estava a falar a sério. Há uma novidade que tenho para partilhar, mas não agora, até porque por uma questão de princípio e respeito não acho que deva ser a primeira a fazê-lo. O meu pai insistiu em referi-la, perguntando se podia falar com eles. Quando dei por isso estava a falar sobre o assunto para a câmara, sem perceber que estava a ser filmada. Se tivesse um buraquinho para me esconder nem tinha pensado duas vezes. Há coisas que gosto de guardar para mim, ou revelar na altura certa, porque ter protagonismo nunca foi um objetivo pessoal. Tudo o que escrevo é de coração e não com segundas intenções. Podemo-nos centrar na segunda parte daquela mini-entrevista (onde expressei a opinião sobre o concerto e lhes deixei uma mensagem) e ignorar a primeira. 

Fiquei ainda mais nervosa depois disto. A fila continuava a avançar e quando chegou o momento tinha o coração a mil. Não importa a idade, quando estou com pessoas que admiro fico mais tímida do que aquilo que já sou. Há sempre tanto que se quer dizer e as palavras parecem poucas, ou fogem na pior altura. Não que tenha falado muito, mas não me senti a bloquear. Foram incansáveis, uma vez mais, por isso só podia sair de lá feliz.

Vim de coração cheio. Pelo concerto, pela simpatia, por tudo. Era impossível não gostar quando aquilo que fazem é memorável. E tal como das outras vezes o obrigada será sempre escasso para tudo o que nos transmitem. Tenho mesmo orgulho em vocês. São os maiores, nunca duvidem. O «até à próxima» é para cumprir. Prometo!

  • Share:

You Might Also Like

20 comentários

  1. Uau!!!!

    Adorei Adorei Adorei!

    Gosto de noites assim onde tudo é perfeito!


    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. Fiquei curiosa com a novidade que tens para partilhar!

    Ainda bem que foi uma noite memorável. Vi a tua foto com eles e nota-se a tua felicidade :)

    ResponderEliminar
  3. Mais uma vez digo que és uma sortuda! E fiquei curiosa com essa novidade que tens para comprar xD

    MORNING DREAMS

    Sofia Silva

    Beijos*

    ResponderEliminar
  4. Eu gosto muito dos Aurora :')

    r: ai, é tão irritante. E pior que tudo é que não faz sentido nenhum. Eu pelo menos não sei como é que se «ri» assim xD

    ResponderEliminar
  5. uii, agora com essa da novidade já me deixaste muito curiosa! :P beijinho

    ResponderEliminar
  6. Que texto lindo! A divulgação que eles fizeram do teu texto é merecida*
    Parabéns! :)

    ResponderEliminar
  7. Os Aurora são fantásticos e é muito bonito ver como os admiras :) Também fiquei curiosa com a novidade ;)

    Beijinhos querida, Bom fim de semana para ti*

    ResponderEliminar
  8. Ohh tão fixe, já não tenho noites dessas há um tempinho.. Eu também sou super tímida querida, passo o tempo todo a sorrir lol

    ResponderEliminar
  9. resp: ainda bem querida, mas continuar com a rubrica factos sobre mim. Vai lá ver :)

    ResponderEliminar
  10. r: mas é aquela borracha dos relógios de pulso

    ResponderEliminar
  11. r: obrigada boneca :') há de passar sim, com força de vontade tudo se consegue.

    ResponderEliminar
  12. Adorei o texto ^^
    Essas noites, que nos enchem o peito são as melhores :)

    ResponderEliminar
  13. Que lindo texto é sempre bom ver uma boa banda que tanto admiramos :) Fiquei curiosa com a novidade.

    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Mais um post em que expressas que gostas mesmo, mesmo deles. Sabes, nota-se mesmo o teu gosto.
    Uhh fiquei curiosa com a novidade. :p

    ResponderEliminar
  15. Escreves tão bem!
    Noites assim que venham mais não é verdade :) (?)

    ResponderEliminar
  16. É um gosto ler os teus textos


    Sónia
    www.tarasemanias.pt

    ResponderEliminar