À boleia do mundo #10 (Parte 1)


Capítulo 10
Terça, 12.08.2014


06h00: Tocou o despertador, mas deixei-me ficar na cama. Levantei-me meia hora depois.

Hoje celebra-se o dia internacional da juventude! Como tal, a Câmara Municipal, em parceria com o Instituto Português do Desporto e Juventude de Bragança, organizou a Semana da Juventude, cujo tema é «A Saúde Mental Importa». De cinco a doze de agosto, os jovens dos 12 aos 30 anos tiveram ao seu dispor «um conjunto variado de atividades e benefícios, através da concessão de descontos e entradas gratuitas, em diferentes espaços e serviços da cidade». O Museu Ibérico da Máscara e do Traje, o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, as Piscinas Municipais, os Transportes Públicos Municipais (STUB) e o Centro de Ciência Viva também aderiram à iniciativa, promovendo a cultura que tantas vezes relegamos para segundo plano. 

Como hoje é o último dia, acho que vimos embora mais cedo para que eu posso aproveitar esta oportunidade, a meu ver, incrível! Tivesse sabido disto antes e tinha visitado o Centro de Ciência Viva logo no domingo. Mas tudo se resolve.

07h57: Que comece a viagem!

09h16: Chegamos à praia! Pelo caminho ainda paramos para tomar café e lavar o carro.

Não sei qual é a finalidade, mas andam em filmagens aqui no Lago. Pelo que vejo, envolve galochas, uma cadeira de maneira, cordas e uma pessoa amarrada a essa mesma cadeira. Fiquei curiosa sobre o que será, mas talvez um dia venha a descobrir.
Os abraços para estes lados são caros! Um grupo da colónia de férias esteve responsável por vir para a praia "oferecer" abraços e massagens, que têm o custo simbólico de um euro. O objetivo é que cumpram as tarefas estipuladas pelos chefes. Angariar dinheiro é, claramente, uma delas. Paralelamente, vão superando dificuldades pessoais.
Este ano, a água está muito agitada. É a primeira vez que a vejo com ondas. Mas até estava com uma temperatura agradável. Era escusado levantar-se vento e o tempo mudar ao ponto de dar a sensação de que vai começar a chover a qualquer momento.

12h12: Forçosamente, temos que ir embora. Talvez esteja mais agradável na Puebla e dê para parar, visto que tem um grande jardim e o rio Tera.

12h18: Ainda é cedo, por isso paramos em Galende para ir visitar a igreja que vejo sempre da estrada.

Está danificada e, muito provavelmente, abandonada. Percorremos, então, algumas das ruas. Não tem muito para ver, mas é agradável apreciar as casas, até porque sendo em pedra têm uma beleza muito própria, mesmo que algumas apresentem sinais de deterioração. E estar em contacto direto com a natureza é um privilégio impagável. As pessoas cumprimentam quase sempre, mas isso não é só para este lado. Acho que nos falta esta "cultura" em Portugal.
Antes de irmos, compramos uma bola de atum e pimento vermelho que é uma verdadeira delícia. É uma aldeia toda catita!

12h58: Seguimos viagem até à Puebla.



Continua...
(qualquer dúvida não hesitem, deixem nos comentários ou mandem por e-mail)

Comentários

  1. É tão bom quando fazemos estas viagens contigo :)

    ResponderEliminar
  2. Parece que estive lá, contigo, ao ler isto! :)

    xoxo, Sofia Pinto
    Morning Dreams | Facebook | Instagram | Last Post

    ResponderEliminar
  3. Essas suas viagem é tudo de bom eu quero mais,
    uma semana abençoada.
    Curta meu Canal:https://www.youtube.com/watch?v=eNNlFtDc1-o
    Blog:http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  4. Já me sinto a viajar, ainda que virtualmente!!
    Isabel Sá
    https://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Casinha giraa :)
    kiss

    http://inspirationswithm.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. É tão bom quando as câmaras nos incentivam a atividades como essa. Esquecer um bocadinho o que se está a passar no nosso mundo e sermos felizes :) Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Olá!!!

    O passatempo, para ganhar uma capa para o teu telemóvel, termina AMANHÃ. Não percas esta oportunidade de personalizar o teu companheiro, de todas as horas.

    Publica aqui, http://the-twentythird-avenue.blogspot.pt/2015/05/pois-e-o-meu-espaco-twenty-third-avenue.html

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  8. r: Sim, isso mesmo :)
    Eu tenho imensos cadernos, e alguns nem sei que uso lhes dar no momento em que compro, só meses depois.

    ResponderEliminar
  9. adoro "viajar" contigo através destes textos :)

    ResponderEliminar
  10. Ai ai, Bragança. Em pequena dizia que gostava de lá ir e ninguém me compreendia, diziam-me sempre que não há lá nada de jeito para ver -.- pessoas de mentes pequeninas é o que é, até porque o que interessa não é o que há para ver, é a forma como vemos! E adoro o contraste da porta e das janelas de tom azulado com o cinzento da fachada da casa :D

    ResponderEliminar
  11. Uma bela "viagem" :)

    http://checkinonline.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  12. Construções em pedra me hipnotizam...

    Aqui a matriz central é toda assim.

    Bjos

    http://chuvadecamelias.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  13. Gosto de viajar contigo nestes teus textos :)
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Eu detesto as grandes cidades, mas "perco-me" em vilas e aldeias pitorescas, quase sempre mais bem conservadas que as cidades e, sem dúvida, menos poluídas.
    Recordo-me da minha primeira viagem de duas semanas pelo norte e em especial "Pitões das Júnias" (Pitões das unhas, no sotaque de Montalegre eheheh).
    Recordo-me da bosta fresca de vaca que alguém pisou ao recuar para tirar uma foto; recordo o bife com uma mosca frita, no único café/restaurante da vila, onde as janelas dispensavam cortinas ou estores, porque as cagadelas de mosca não deixavam entrar o sol (lol) e recordo a simpatia das pessoas, que cumprimentam toda a gente. Não digas mal dos da terra, porque nas aldeias toda a gente dá a salvação e dois dedos de conversa aos forasteiros. E nós adoramos meter conversa, saber coisas da terra, histórias contadas por velhotas cujas rugas mais parecem sulcos deixados pela erosão da vida...
    Estávamos em 1988 e desde então, as nossas férias nunca mais foram como tinham sido, sempre na praia. Acho que só voltámos a fazer férias na praia, duas vezes, daí para cá. Depois dessa experiência por Trás-os-Montes e Minho, corremos meia Península Ibérica, um pouco de França e Itália, mas, tirando París, nunca conheci uma grande cidade. Não gosto... entro em stress com o trânsito e vou embora ao fim de meia hora.
    Pronto, neste bocadinho já viajámos um pouco. eheh

    ResponderEliminar
  15. Tudo seja aproveitado,
    do que se possa desfrutar
    nada seja desperdiçado
    porquanto no mundo a viajar!

    Desejo para você Andreia, uma boa noite, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  16. "Está danificada e, muito provavelmente, abandonada." :/

    ResponderEliminar
  17. Ahahah, vá-se lá saber por que razão o look de menina te encheu o olho... :P E eu tenho para mim que te ia ficar um verdadeiro mimo! :D O de Homem também ficou benzinho, modéstia à parte.
    Mas sabes que eu já não fico triste por não ter o que quero como antes ficava... Sou bem mais compreensivo e acabo por ter mais forçar para lutar por "aquela coisa material" que tanto quero. É um desafio! :D

    É um verdadeiro Senhor. Fossem todos justos como ele...

    Sinto-me tão confortável quando viajo contigo, tens noção? Acabei de ler o texto e parece que vivi todas essas emoções. Foi, sem dúvida, como se lá tivesse estado :D

    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  18. Obrigada por mais esta breve viagem. Vou já ler a segunda parte :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário