Entrelinhas #10

By Andreia Morais - janeiro 02, 2016


«As Cinquenta Sombras é uma trilogia obsessiva, viciante e que fica na memória para sempre» & «Veja o mundo de As Cinquenta Sombras de Grey, como se fosse pela primeira vez, através dos olhos de Christian Grey»


Lembro-me bem do impacto que estes livros tiveram quando chegaram e de toda a controvérsia que se gerou em torno deles. Inicialmente, confesso, não me despertaram grande interesse, até porque nunca tinha lido algo do género. Contudo, à medida que fui conhecendo pormenores do enredo e algumas críticas, a curiosidade aumentou gradualmente. E a vontade de formar a minha própria opinião fez com que deixasse de ter tantas reticências em relação a esta trilogia. Afinal, o pior que podia acontecer era não gostar. Quando me ofereceram os dois primeiros volumes, no Natal de 2014, percebi que estava na altura de me aventurar neste mundo literário do qual não tinha qualquer referência.

Demorei pouco mais de duas semanas a ler os três livros. E cheguei ao fim com a certeza de que já o devia ter feito há muito tempo. Não gosto, de todo, de ler só porque todos leem. Não me faz sentido. E talvez por isso tenha esperado tanto até o fazer. No entanto, uma coisa é certa, é impossível ficarmos indiferentes quando há inúmeros comentários sobre um assunto. Para evitar fazer um juízo de valor sem conhecimento, permiti-me perder nas palavras de mente aberta. Compreendo perfeitamente que nem todos tenham gostado (ou que nem todos queiram ler), aquilo que não consigo perceber é como é que se pode criticar algo quando se fica apenas pela superfície. Se calhar, criei uma imagem da história completamente diferente dos outros, mas, para mim, esta trilogia não se limita ao sexo. Vai muito para além disso!

Coloca-nos em contacto com uma realidade desconhecida para a maior parte das pessoas, o que acaba por testar os nossos limites, mas também nos mostra, se dúvidas existissem, que tudo aquilo que fazemos é consequência de algo - muitas vezes, o motivo porque agimos de determinada forma não é claro, mas é sempre condicionado por um momento passado. A capacidade de nos adaptarmos às situações diz muito sobre nós, é por isso que nem sempre seguimos o caminho, dito, normal, mas optamos por aquele que nos parece ser mais correto. Esta história é, igualmente, uma sucessão de aprendizagens se olharmos com atenção para as entrelinhas. Além disso, «As Cinquenta Sombras» são, choquem-se, uma história de amor. Não só entre um casal, mas, principalmente, próprio.

Para mim, há um crescendo a nível de qualidade, até porque à medida que vamos avançando na história vamos conseguindo compreender o que motiva o Mr. Grey a fazer o que faz - as suas ações ganham um propósito. E a própria Miss Steele também muda. No fundo, ajudam-se mutuamente a descobrir um mundo completamente desconhecido para ambos (para ela, o mundo da submissão, para ele, a possibilidade de ser amado e de ser merecedor desse amor). Se são as maiores obras literárias? Não, mas também não são assim tão desprezíveis como algumas pessoas quiseram transmitir. Há cenas que nos revoltam, que nos fazem arquear as sobrancelhas, que nos deixam de queixo caído, que nos deixam sem fôlego, que nos inquietam, que nos emocionam. Acreditem, há descrições maravilhosas! Há humor, há sedução, há sexo, há amor; há de tudo. O importante é que se compreenda que tudo surge num determinado contexto. E faz sentido precisamente por isso.

«Grey» aparece com o propósito de conhecermos a história, como se a lêssemos pela primeira vez, através de Christian. E, antes de avançar, tenho que confessar que fazia parte do grupo de pessoas que queria isto. Contudo, é fundamental que se perceba que não vamos encontrar uma reformulação do enredo, mas, se assim o pudermos dizer, uma forma de desmistificar um pouco mais da personagem masculina que se revelou tão complexa, tão intrigante, tão fascinante. É interessante acompanhar a sua luta interior, os seus pensamentos, a maneira como perde o controlo e como as coisas o afetam; a imagem de alguém exteriormente confiante que entra em conflito com uma personalidade insegura; as memórias de infância, tanto maravilhosas, como dolorosas. E aquilo que, aparentemente, parece uma coincidência pode não o ser. A maneira como termina sugere que haverá continuação, mas, quanto a isto, teremos que aguardar para ver.

Há duas coisas que, para mim, nunca perderão o encanto: os diálogos entre eles e os e-mails que trocaram. São tão cheios de tanto que nos absorvem por completo. Agora que cheguei ao fim, há uma pergunta que lanço: E se tivéssemos lido primeiro o livro narrado por Christian, será que a nossa opinião seria diferente?


Como o texto já vai longo, vou apenas deixar-vos com uma citação de cada volume:

As Cinquenta Sombras de Grey:
«- Gostei que me apresentasses ao Mark como sendo a tua namorada - murmurei.
- Não é isso que és? - perguntou, arqueando uma sobrancelha.
- Sou? Julgava que querias uma submissa.
- Também eu, Anastasia, e quero, mas já te disse que também quero mais do que isso».

As Cinquenta Sombras Mais Negras:
«(...) Assim que entrei no apartamento, não sei porquê, fiquei instintivamente pregada ao chão. Só instantes depois percebi que era por causa da figura pálida e abatida que estava junto da bancada central da cozinha, com um pequeno revólver na mão. Era Leila e estava a olhar para mim com um ar impassível».

As Cinquenta Sombras Livre:
«- Tu viraste-me o mundo do avesso. - Fecha os olhos e, quando torna a abri-los, estão indefesos. - O meu mundo era ordenado, calmo e controlado; depois tu entraste nele com os teus comentários descarados, a tua inocência, a tua beleza e a tua temeridade tranquila... e tudo o que havia antes de ti passou a ser mortiço, vazio, medíocre... nada».

Grey:
«(...) Quando ela me diz que gosta de chá fraco e negro, por um instante julgo que descreve aquilo que lhe agrada num homem.
Controla-te, Grey. Ela está a falar de chá».

  • Share:

You Might Also Like

19 comentários

  1. Devem ser livros muito interessantes :)

    R: Obrigada *_*

    ResponderEliminar
  2. Uma bela trilogia que tem feito muito sucesso principalmente no "mundo" feminino.
    Um abraço e um bom ano de 2016.

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito da tua perspectiva! E essencialmente do facto de "julgares" alguma coisa com o conhecimento da mesma, porque caso contrário, não faria o menor sentido, assim como referes!
    Confesso que ainda não li os livros, mas que este teu "comentário" me deixou curiosa!

    Beijinhos e bom ano!

    ResponderEliminar
  4. Eu li na altura a trilogia e agora há pouco o livro dele. Não amei em termos literários, mas gostei. Achei que as mensagens trocadas entre eles são cheias de humor. Foram livros que li num instante.

    ResponderEliminar
  5. ;)

    Não li nenhum. Vi o filme. Não sei se conta, mas eu particularmente não gostei horrores! Me pareceu apenas o amor de sempre retratado de uma maneira que as pessoas não entendem ainda.

    Ótimo sábado!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  6. Obrigado minha querida. Acredita que espero que 2016 te reserve muitos sorrisos e muitas vitórias porque realmente mereces. Agradeço ao blog e a 2015 o facto de te ter encontrado. Mais do que uma simples blogger, uma verdadeira amiga! :')

    Confesso que tentei ler o primeiro volume mas não gostei. Não é que esteja mal escrito ou algo parecido... O género literário é que não corresponde ao que eu gosto de ler :D De qualquer das formas foi ótimo ler a tua apreciação :D

    NEW INSTAPLEASURE POST | Best Of 2015
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  7. Fico feliz que tenha gostado! ;)

    Pode ser por isso então que não curti muito. Os livros normalmente tem muitas diferenças com os filmes!

    Ótimo sábado!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  8. É, não deixa claro mesmo! E deixou parecer que ele foi o grande vilão no final. E tantos outros detalhes que devem ter passado despercebido que podem ter feito o julgamento negativo de muitas pessoas!

    Ótimo sábado!

    Beijo! ^^

    ResponderEliminar
  9. Não li a trilogia, não é um tipo de literatura que me seduza. Tenho uma prima que andava a lê-la e eu li alguns parágrafos, não gostei da linguagem, achei-a grosseira.

    Vi o primeiro filme pela curiosidade, achei que é um filme mais comercial do que outra coisa. Tudo o que mostra é irreal, acho que o que levou as pessoas ao cinema foi tão só as cenas eróticas.

    Beijinhos :* <3

    ResponderEliminar
  10. Devo ser das poucas que nunca li, nem vi o filme...


    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  11. Li o primeiro, vi o filme e quero ler o resto ^^

    ResponderEliminar
  12. Eu não vi o filme, e gostaria de ler, creio que seja bem interessante.

    Feliz Ano Novo.
    Saudações!

    ResponderEliminar
  13. Ainda não li o do Grey, ainda estou a ganhar coragem para o ler.
    Mas mais tarde ou mais cedo acabarei por ceder!

    ResponderEliminar
  14. Nunca me puxou para ler estes livros, é uma opinião :) ainda bem que não gostamos todos do mesmo, assim o mundo não tomba!
    Estou de volta para te ler , finalmente, desculpa a ausência.
    Um beijinho, bom ano querida Andreia :)

    ResponderEliminar
  15. Deve ser livros maravilhoso essas trilogia amei a dica e a resenha,
    2016 seja de realizações sucesso em o nome de Jesus
    Canal: https://www.youtube.com/watch?v=44dbnHrYIP4
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  16. A minha namorada adorou ler estes livros também :)
    r: Obrigada Andreia, e que este ano seja ótimo para ti!

    ResponderEliminar
  17. Li o primeiro livro de uma assentada, pois a história envolve e a leitura é fácil e rápida, mas não consegui chegar a metade do segundo...Achei as descrições repetitivas, mais do mesmo e perdi a vontade de continuar.
    Mas sou como tu, não tenho qualquer problema em ler seja o que for que me desperte curiosidade independentemente da crítica. Gosto de ser eu a avaliar.
    Na verdade, o importante é ler, começar por algum lado, encontrar o "bichinho" da leitura, seja qual for o livro escolhido!

    ResponderEliminar
  18. Quero muito ler o Grey porque, tal como tu, devorei os três primeiros volumes num ápice (e os livros nem eram meus, eram da minha mãe, ela ainda estava a ler o segundo e teve de parar para eu o ler primeiro porque não aguentava ter de estar à espera que ela o lê-se para eu o poder ler eheh)

    ResponderEliminar
  19. Não li nenhum dos livros, só vi o filme, mas tenho imensa curiosidade. Tenho de os comprar! :)

    ResponderEliminar